Faleceu monsenhor Bastos

© João Polónia Fotografia de Autor joaopolonia.oeste@gmail.com
© João Polónia

O seu sonho era ir para África. Mas Peniche - "a África às portas de Lisboa" (nas palavras do cardeal Cerejeira) foi o destino.

 

O monsenhor Manuel Bastos Rodrigues de Sousa, pároco emérito de Peniche, morreu aos 88 anos, com 62 de sacerdócio. A sua acção social e cultural marcou o concelho durante mais de 60 anos. Um lar, dois jardins-de-infância, duas creches, uma oficina de renda de bilros, um clube recreativo e desportivo e dois pavilhões desportivos, são alguns dos projectos a que esteve ligado.


Mas foi pela «Sopa dos pobres», resposta à miséria em Peniche, que acabaria por ser reconhecido. Dedicou também particular atenção aos homens do mar e à diáspora penicheira espalhada por Portugal e pelo mundo.


Natural de Aveiro, foi ordenado sacerdote a 6 de Julho de 1947. No mesmo ano é nomeado pároco de Peniche. A 19 de Junho de 1981 foi nomeado monsenhor. 


É "uma figura incontornável na história de Peniche", afirma Ângela Malheiros, acólita que há 25 anos segue de perto a obra sacerdote, agora falecido. O bispo auxiliar de Lisboa, Tomás da Silva Nunes salienta que monsenhor Bastos “distinguiu-se pelo seu empenho. Pelo apostolado do mar, numa obra social que lançou, na atenção aos mais desprotegidos, e aos idosos. Também numa constante relação com os imigrantes”.

 

 

Foto: João Polónia

Texto: Lucília Oliveira

http://www.fatimamissionaria.pt/artigo.php?cod=14854&sec=7

 

Comments: 0