Quaresma: Procissão da Ordem Terceira em Óbidos apela a caminhada de conversão de amor ao próximo

10 de março de 2014

(Centenas de cristãos percorreram as ruas tortuosas da vila de Óbidos interpelados à "conversão interior" - fotos e texto João Polónia/Agência ECCLESIA)
(Centenas de cristãos percorreram as ruas tortuosas da vila de Óbidos interpelados à "conversão interior" - fotos e texto João Polónia/Agência ECCLESIA)

Óbidos, 10 mar 2014 (Ecclesia) – A Procissão Penitencial da Ordem Terceira, deu início este domingo, às celebrações pascais na vila de Óbidos, desafiando centenas de cristãos durante a “procissão da esperança” a mudarem de vida, com o desejo de preparar o tempo da Quaresma numa atitude fraterna de amor ao próximo, de especial atenção pelos que mais sofrem.

 

“Nesta imensa multidão de santos franciscanos, muitos deles tiveram um passado cheio de erros e de pecados, no entanto, ao reconhecerem o Amor gratuito de Deus, converteram-se pela Sua graça, hoje são modelo de santidade e sinal de esperança para o mundo, e percorrem as ruas desta vila”, manifestou o Frei Nicolás Almeida do Convento de Santo António do Varatojo em Torres Vedras no sermão da procissão, lembrando o gesto do Papa Francisco ao adoptar S. Francisco de Assis como ideal do seu pontificado. 

 

Segundo o responsável, só com “a luz da fé” os cristãos conseguem compreender o mistério que liga a “ação de Deus” à “liberdade humana”.

 

O que marca profundamente a vida franciscana é a ideia “de que o mal nunca poderá ser combatido com o mal, mas apenas com o bem”; como “Cristo na Cruz, no meio dos maiores sofrimentos soube perdoar aos seus inimigos”. Os gestos manifestados pelo Frei Nicolás chamaram à atenção dos crentes para “a responsabilidade da santidade de cada pessoa com quem vivemos”.

 

A Procissão da Ordem Terceira realiza-se em Óbidos desde do tempo em que a vila pertencia à Casa das Rainhas. A celebração religiosa com raízes culturais e humanas, muito rara no País, percorre as ruas tortuosas da vila, transportando imagens construídas em Braga no ano de 1849. A comunidade secular foi criada no século XIII por São Francisco de Assis e só se instalou na Capela de Nossa Senhora de Monserrate no século XVIII.

 

Atualmente, este evento religioso conta com a organização das Paróquias de Santa Maria e S. Pedro de Óbidos, Santa Casa da Misericórdia da vila de Óbidos, Comissão da Semana Santa e conta com o apoio do Município de Óbidos, através da empresa municipal Óbidos Criativa.

 

No final da celebração, em declarações à Agência ECCLESIA, o Frei Nicolás Almeida deixou uma mensagem de Quaresma, com o apelo à “conversão interior” pessoal e comunitária.

 

O jovem sacerdote partilhou a importância da redescoberta do valor do Evangelho, com o desejo que a Palavra de Deus ilumine a vida dos cristãos, não só através dos seus ensinamentos, mas também na concretização sobretudo a partir do “amor ao próximo”, fazendo com que este tempo de preparação para a Páscoa seja uma ocasião de “maior solidariedade”.

 

“Ao mesmo tempo que procuramos viver uma vida sóbria, podemos também procurar os nossos irmãos com algumas dificuldades, para que tenham o suficiente para uma vida digna”, apontou o Frei Nicolás, como proposta de penitência quaresmal.

 

A celebração presidida pelo pároco Paulo Gerardo teve a participação do frei Nicolás no I Domingo da Quaresma em Óbidos, acompanhado por um grupo de noviços do Convento de Santo António do Varatojo em Torres Vedras. 

 

 

João Polónia/Agência Ecclesia

 

http://www.agencia.ecclesia.pt/noticias/nacional/quaresma-procissao-da-ordem-terceira-em-obidos-apela-a-caminhada-de-conversao-de-amor-ao-proximo/

(Frei Nicolás do Convento do Varatojo em Torres Vedras proferiu o sermão da procissão no I Domingo da Quaresma)
(Frei Nicolás do Convento do Varatojo em Torres Vedras proferiu o sermão da procissão no I Domingo da Quaresma)
Free counter and web stats

 

Comente esta notícia:

Comments: 1
  • #1

    Pe. Ramiro Galhispo (Wednesday, 12 March 2014 15:27)

    PARABÉNS POR ESTE BELO E EXTRAORDINÁRIO TRABALHO!
    Um banho de juventude, de espiritualidade, de vitalidade!
    Comunidades vivas, criativas, participativas, onde há lugar para todos e espaço para cada um. PARABÉNS !