Jovens da Paróquia de Caldas testemunham Jornadas Mundiais da Juventude

12 de Outubro de 2011

Membros do grupo de jovens da paróquia de Caldas da Rainha
Membros do grupo de jovens da paróquia de Caldas da Rainha

 

Dois meses após as Jornadas Mundiais da Juventude (JMJ), os jovens da paróquia Nossa Senhora de Pópulo de Caldas da Rainha testemunham a participação neste evento mundial diante o Papa, realizado no mês Agosto em Madrid.

 

Depois de um ano repleto de atividades em angariação de fundos para ajudar as despesas da viagem, os Jovens das Caldas iniciaram a sua caminhada apenas com a certeza de que iriam estar perto do Santo Padre com a possibilidade de conhecer gente de todo o mundo, partilhando os valores cristãos.

 

Fazendo o balanço da participação nas JMJ, Ricardo Fernandes, um dos membros do grupo de jovens da paróquia de Caldas da Rainha, considerou que foi o momento mais importante de vivência de fé e comunhão com Deus que teve no seu percurso cristão, declarando que “senti-me completamente amado por Deus clemente, amigo, misericordioso e sempre disposto a lutar por nós, mesmo quando não lhe damos a devida atenção”.

 

Apesar de uma semana agitada repleta de sacrifícios, onde, por vezes o corpo já dizia que queria desistir, o jovem de 19 anos salientou que a fé lhe dava força para ultrapassar as dificuldades: “Parecia existir uma sede imensa, quanto mais aprofundássemos a fé e mais convivesse-mos com todos os outros cristãos, ia crescendo e levava-nos a procurar a fonte que é a Trindade Santa”. Durante os dias que permaneceu em Madrid, Ricardo passou por diversas circunstâncias, tais como, situações de impotência, felicidade, tristeza, reflexão, encontro com Deus, compaixão, solidariedade, temor e amor, que lhe proporcionaram um “salto na vida de cristão”, na forma como olha para o próximo e todos os que lhe rodeiam.

 

Considerando as JMJ como “um mundo novo” e “uma preparação para tentar viver uma vida santa”, Ricardo Fernandes revelou que a verdadeira missão começou quando regressou das JMJ e não enquanto lá esteve.

 

Marta Pina, caminheira no Agrupamento de Escuteiros 337 de Caldas da Rainha, representou o movimento em conjunto com mais dois pioneiros, no grupo de jovens que rumaram a Madrid a fim de participar nas JMJ. Ser escuteira facilitou-lhe apenas a rápida integração a um lugar diferente, dormir em qualquer lugar que surgisse, tomar banho de água gelada, aguentar elevadas temperaturas e caminhar muito.

 

Apesar destas vantagens, “a adaptação é sempre mais difícil, quando se tem mais objetivos que aqueles que o próprio corpo aguenta, havia muita gente a querer o mesmo que nós aproveitando a experiência ao máximo”, explicou a jovem Marta. O momento mais marcante para a escuteira foi a realização das Catequeses com a presença de D. José Policarpo, Cardeal-Patriarca de Lisboa, em conjunto com os bispos portugueses, “senti que estava ali para o que tinha ido e que, com toda a certeza iria poder concluir o meu grande objetivo”. Esta oportunidade abriu-lhe o coração para poder partilhar, posteriormente, todos os momentos das Jornadas com o Papa Bento XVI. Marta Pina salientou a importância da assistência portuguesa no evento juvenil, “é fantástico que num lugar com tantas pessoas, nos consigamos sentir em casa com 10 mil portugueses presentes”. A caminheira caldense referiu uma das expressões utilizadas pelo Santo Padre em Madrid «o mais difícil é viver as Jornadas em nossas casas», foi baseado nesta afirmação que a jovem Marta Pina agora trabalha - evangelizar e espalhar o que trouxe das JMJ é o seu grande novo objetivo.

 

Coube ao padre Miguel Pereira, vigário paroquial nas paróquias de Caldas da Rainha e Coto, acompanhar este grupo de 35 jovens às JMJ a Madrid. Para o sacerdote, o objetivo inicial da sua viagem passou pela integração do que iria encontrar nas Jornadas, para “servir o melhor possível” a sua paróquia. A sua experiência de missão passou também por exercer a função de Capelão dos Voluntários Internacionais nas JMJ, o qual representou sozinho o nosso país. Concretizado um ano de ministério apostólico, o jovem padre de 26 anos, natural de Atouguia da Baleia, concelho de Peniche, ao ser nomeado capelão de voluntários, conduziu a oportunidade de viver momentos espirituais bastante ricos.

 

Referente a esta dupla vocação em Madrid, o padre Miguel considera “muito boa e renovadora”, embora realce ter regressado “muito cansado fisicamente”. Na experiência espiritual, enquanto administrou a sua ação sacerdotal para o Sacramento da Reconciliação, afirmou, “confessei muita gente, talvez cerca de 150 pessoas, mas outros sacerdotes foram passando por lá e também ouviram em confissão muita gente, durante horas e daí percebe-se a vivência de fé que estes jovens fizeram”.

 

Na sequência desta ‘aventura eclesiástica’, o presbítero Miguel Pereira, da Diocese de Lisboa, iniciou uma corrente de oração mundial pelo Santo Padre, que consiste em rezar 100 Terços pelo Papa até às próximas Jornadas Mundiais da Juventude, que vão decorrer no Rio de Janeiro em 2013. O blog ‘100 Rosaries For The Holy Father’ (100 Rosários pelo Papa) está disponível em www.rosarywaytorio.blogspot.com, e consiste numa ação conjunta com uma jovem polaca, que desempenhava as funções de sacristã nas JMJ em Madrid, e parte de um grupo de voluntários internacionais, dinamizado na rede social Facebook.

 

 

João Polónia/Jornal das Caldas 

 

http://www.jornaldascaldas.com/index.php/2011/10/13/jovens-da-paroquia-de-caldas-testemunham-jornadas-mundiais-da-juventude/

 

Comente esta notícia:

Comments: 0