MÁRCIO CARREIRA INICIA UMA NOVA ETAPA DE VIDA 

Jovem caldense recebe santo hábito e consagra-se à Ordem Franciscana

18 de setembro de 2013

A Ordem Franciscana, no Convento de Varatojo, em Torres Vedras, celebrou cinco novas profissões religiosas e a tomada do santo hábito franciscano de nove novos noviços de Portugal, Moçambique e Timor Leste, nos dias 6 e 7 de setembro. 

 

O jovem Márcio Carreira, de 24 anos, natural de Caldas da Rainha da paróquia de Nossa Senhora da Anunciação de Tornada, após um ano no pré-seminário em Leiria, tomou o santo hábito no convento do Varatojo e concretizou o compromisso à vida consagrada franciscana, no Ano da Fé.. 

 

No sábado, véspera do dia em que a Igreja Católica celebra a Natividade de Santa Maria, o padre Vitor Melícias, provincial da Província Portuguesa presidiu à celebração eucarística participada por uma centena de cristãos, onde cinco noviços realizaram os seus primeiros votos temporários. O grupo contava com um português e dois timorenses, que vão estudar Teologia no Centro Regional de Braga, da Universidade Católica Portuguesa. 

 

Durante a tarde de sexta-feira, a capela do convento recebeu a celebração de tomada de hábito e sua admissão, ao noviciado de nove novos noviços, dois portugueses, quatro de Timor Leste e três de Moçambique. O Patriarca de Lisboa D. Manuel Clemente marcou presença no ato que marca o primeiro ano de preparação dos futuros frades. 

 

As duas celebrações foram realizadas no Convento de Varatojo, em Torres Vedras, a casa do noviciado da província portuguesa dos Frades Menores. No Varatojo, pelo menos na história, na cultura e como lugar de formação, ali funcionou durante séculos o Seminário Apostólico, onde se destacou Frei António das Chagas, homem notável da cultura portuguesa.

 

Também naquele sábado, 7 de setembro, o Papa Francisco apelou à paz e à reconciliação na Síria, aos fiéis de todas as religiões e a “todas as pessoas de boa vontade” dedicando um dia de jejum e oração. Para além do pedido lançado aos católicos, a todos os cristãos não-católicos e a todos crentes não-cristãos, o Santo Padre permaneceu em vigília durante quatro horas na Praça de S. Pedro, a fim de “rezar, num espírito de penitência, para pedir a Deus esta dádiva ‘da paz’ para a amada Síria e para todas as situações de conflito e de violência no mundo”, manifestando que “a guerra é sempre uma derrota para a humanidade”.

 

Em entrevista ao JORNAL DAS CALDAS, o padre Vitor Melícias, provincial da Província Portuguesa franciscana no final da celebração no Convento do Varatojo, afirmou que a profissão religiosa e a admissão dos novos noviços, ter coincidido com o apelo do Papa Francisco para que “o mundo cristão orasse e se empenhasse na construção da paz”, é uma “coincidência feliz”, porque “S. Francisco de Assis é um grande arauto da fraternidade e da paz”. Segundo o responsável a celebração franciscana “plurissecular é paz e bem, os franciscanos consideram-se frades do povo, irmãos do povo e da paz, portanto toda a nossa celebração hoje em que os jovens prometeram construir o seu futuro ao serviço da paz e do bem, assenta muito na mesma ideia do Papa”, sustentou o sacerdote franciscano. 

 

“Estamos aqui em união do espírito, em união da oração, mas sobretudo com a mesma vontade de que os cristãos no mundo ajudem a que a paz se construa e não haja mais a guerra”, relevou Vitor Melícias reforçando, “uma guerra pode ser eventualmente justificável, mas nunca é uma guerra justa, não há guerras justas”. Para o superior geral da congregação franciscana, com as características da guerra do Iraque há 10 anos e desta previsível invasão estrangeira na Síria “é motivo para estarmos altamente preocupados”.

 

O padre Vitor Melícias sublinhou as palavras do arcebispo anglicano da Africa do Sul, e Nobel da Paz Desmond Tutu, “o que se precisa não é de intervenções bélicas, é de intervenções humanitárias, e o Papa dos Pobres, Papa Francisco, de tão belo nome, em boa hora apelou aos cristãos do mundo, para que sejamos construtores da paz, num momento de jejum, de penitência e de oração, mas em qualquer outra forma de intervenção”, garantiu concluindo que “não podemos permitir que haja intervenções em povos soberanos que não tenham uma justificação verdadeira humanitária”. 

 

O caldense Frei Márcio Carreira à conversa com o JORNAL DAS CALDAS nos claustros do Convento do Varatojo disse estar apaixonado pela “humildade e pobreza de S. Francisco de Assis”, e exteriorizou com emoção e alegria a entrada para a sua “nova casa”, onde irá permanecer um ano dedicado à oração. 

 

Na rede social do Facebook, Márcio deixou uma mensagem de gratidão pelas congratulações de familiares, amigos e de todas as pessoas que o acompanharam na sua descoberta vocacional. “Obrigado a todos aqueles que de uma forma ou de outra, manifestaram o apreço e felicitação pelo início desta minha nova etapa decisiva na minha vida”, certifica o jovem natural de Caldas da Rainha com o desejo de que “a Palavra de Amor, que Deus tem para nós, seja o vosso modo de viver”. "Paz e Bem".

 

A Província Portuguesa da Ordem Franciscana tem 127 membros, a residirem em 15 fraternidades, e conta com missionários na Guiné-Bissau, Cabo Verde e África do Sul.

 

 

João Polónia/Jornal das Caldas

 

(Jornal das Caldas nº 1116 de 18 de setembro de 2013)

 

http://www.jornaldascaldas.com/Jovem_caldense_recebe_santo_habito_e_
consagrase_a_Ordem_Franciscana

A cerimónia na Sala do Capítulo, sob a presidência do Ministro Provincial, Frei Vítor Melícias, contou com a presença do Patriarca de Lisboa, Dom Manuel José Clemente, sobrinho-neto de Frei José Rolim
A cerimónia na Sala do Capítulo, sob a presidência do Ministro Provincial, Frei Vítor Melícias, contou com a presença do Patriarca de Lisboa, Dom Manuel José Clemente, sobrinho-neto de Frei José Rolim
Celebração de tomada do santo hábito no Convento do Varatojo
Celebração de tomada do santo hábito no Convento do Varatojo
Márcio Carreira toma hábito e assina compromisso com Ordem Franciscana
Márcio Carreira toma hábito e assina compromisso com Ordem Franciscana
"Irmãos Portugueses Franciscanos Sempre Juntos"
"Irmãos Portugueses Franciscanos Sempre Juntos"

MULTIMÉDIA:

Free counter and web stats

 

Comente esta notícia e deixe mensagens ao caldense Frei Márcio Carreira:

Comments: 15
  • #15

    jorge humberto (Saturday, 19 October 2013 09:15)

    Conheço o Frei Marcio há um ano e tanto , fiquei muito feliz e entusiasmado quando soube que optara por este caminho . Curiosamente também eu percorrera os caminhos de Varatojo há vinte e tantos anos . Felicidades e muita Paz e Bem .

  • #14

    Pe. Vitor Melícias (Saturday, 21 September 2013 14:10)

    Muito obrigado. Está muito bem.
    Bom serviço de Igreja. Bem haja.
    Um abraço
    Pe. Melicias

  • #13

    Ramiro Dinis (Thursday, 19 September 2013 22:12)

    Que excelente noticia!

    Abraço.
    Ramiro

  • #12

    Luizinho Leal (Thursday, 19 September 2013 00:24)

    Não conhecendo o novo franciscano de hábito, deixo-lhe as minhas felicitações pela sua escolha e dedicação à ordem mendicante de Francisco de Assis. Em 1977-80 (?), aqui pela paróquia de Amoreira de Óbidos passaram 3 franciscanos a paroquiar: Diamantino Maciel, Diamantino (?...tive uma branca...Rodrigues(?)) e José Correia, este um grande músico compositor que muito me marcou. Excelente organista também. Tenho enorme apreço pelo franciscanismo, dominicanos e jesuítas cujos membros, revelam abertura e profunda teologia. Ao invés, encontramos um clero diocesano amorfo, bolorento, estático, mal preparado e preguiçoso...(não todos mas a maioria). Eis a razão porque o felicito e admiro, no mundo de hoje, ter optado por defesa de um cristianismo que não seja apalermado no ambão mas evangelizador. Abraço-o com estima. E...deve ter sido aluno na D. João II de Caldas da Rainha...não?

  • #11

    Cláudia Fialho Valadas (Wednesday, 18 September 2013 13:57)

    Muitos parabéns e continua o teu caminho.

  • #10

    Dilma Guedes (Wednesday, 18 September 2013 13:57)

    Muitas felicidades e parabéns por nunca teres desistido do teu sonho . Fico muito feliz por ti tu mereces.

  • #9

    Elisabete Francisco (Wednesday, 18 September 2013 13:56)

    Parabéns Maninho...estou muito feliz por ti...conta com as minhas orações para que sempre firme na tua fé faças uma bela caminhada rumo à eternidade celeste. Que Deus te abençoe e guie nesta tua nova caminhada.

  • #8

    Ana Isabel (Wednesday, 18 September 2013 13:55)

    Muitos parabéns por esta nova fase da tua caminhada, estou muito feliz.
    é estranho dizer frei Márcio ! Para mim serás sempre o amigo Márcio.
    Bjs

  • #7

    Teresa Gonçalo Ribeiro (Wednesday, 18 September 2013 13:49)

    Frei Márcio Carreira muitas felicidades!

  • #6

    Samuel Pereira (Wednesday, 18 September 2013 13:42)

    Muitos parabéns Marcio Carreira. Fico muito feliz por ti. Grande abraço

  • #5

    Rafa Pérez Martínez (Sevilha) (Wednesday, 18 September 2013 13:40)

    Enhorabuena Hermanos!! Se os ve muy bien!Unidos en oración y espero que tengais un buen noviciado! Un abrazo grande

  • #4

    Beatriz Sedas (Wednesday, 18 September 2013 13:37)

    Muitas felicidades Márcio que sejas muito feliz bjs.

  • #3

    Sílvia Carvalho (Wednesday, 18 September 2013 13:37)

    Parabéns, Frei Márcio Carreira ,que sejas feliz nesta nova etapa da tua vida, bjs.

  • #2

    Adelaide Leal (Wednesday, 18 September 2013 13:34)

    Parabéns e que sejas FELIZ no caminho que escolheste. Beijinho

  • #1

    Raúl Penha (Wednesday, 18 September 2013 13:33)

    Olá Frei Márcio fico feliz por mais esta etapa na tua vida, que ela te ajude a caminhares para a santidade.

Convento de Varatojo (Torres Vedras)

O Convento de Santo António de Varatojo é obra e empenho do monarca Dom Afonso V, que em cumprimento de voto que fizera a Santo António de Lisboa, para auxiliá-lo nas conquistas do norte de África, o mandou levantar. Veio ele mesmo, com os fidalgos da sua real Câmara e grande acompanhamento de clero, nobreza e povo, desde a vila de Torres Vedras, lançar a primeira pedra em Fevereiro de 1470. Entregou o andamento da obra, com recomendação de ser veloz, ao Vedor da Casa da Rainha, sua mãe, Diogo Gonçalves Lobo.

 

As obras correram com a aceleração recomendada. Passados apenas quatro anos – a 4 de Outubro de 1474 – o adianto das obras permitiu a inauguração, que foi muito solene, com a entrada de 14 religiosos, vindos do convento de São Francisco da Vila de Alenquer.

 

E, logo que teve notícia o rei fundador dos relógios de bater horas, invenção e habilidade de Frei João da Comenda, irmão leigo do convento franciscano de Nossa Senhora da Conceição de Leça da Palmeira, do concelho de Matozinhos, apressou -se em chamá-lo ao seu real convento de Varatojo, para que o sino da sua torre não fosse o derradeiro dos dez que construira aquele mestre-inventor, a bater as horas. Sabe-se que já as batia em 1478.

fonte: Franciscanos - OFM PORTUGAL www.ofm.org.pt

 

Varatojo celebrou a Vocação Franciscana

O Senhor mandou-nos novos Irmãos que vestiram o hábito franciscano; os Irmãos que terminaram o Noviciado fizeram a sua Primeira Profissão; e os Irmãos em Formação Inicial renovaram os seus votos religiosos. Os novos Noviços, em número de oito, são de três nacionalidades diferentes: três de Moçambique (Custódia de Santa Clara de Assis), quatro de Timor-Leste (Fundação Santo António de Lisboa) e dois da Província Portuguesa da Ordem Franciscana, que a todos acolhe neste processo formativo.

 

Terminado o tempo de Noviciado, os neoprofessos de Moçambique seguiram para o seu País; os demais, estão a frequentar a Universidade Católica Portuguesa, uns no Porto, outros em Braga, preparando-se para serem futuros franciscanos sacerdotes.

 

A preparar toda esta grande festa realizou-se um retiro espiritual, orientado este ano por Frei Paulo Sérgio da Silva Brandão e por Frei Humberto Nogues Feriato. Decorreu de 01 a 06 de setembro, neste mesmo Convento, e teve a participação de todos os formandos da Província e de outros irmãos, em número superior a trinta.

 

CAPÍTULO DA MEMÓRIA

Na tarde do dia 06 de setembro, pelas 16H00, foi celebrado o «Capítulo da Memória»: encontro familiar, a continuar tradições quase perdidas no tempo, no qual se faz “memória” dos antepassados e dos valores específicos da cultura institucional franciscana.

 

Este ano foi recordado o Frei José da Assunção Rolim, sacerdote e figura veneranda muito presente ainda na memória coletiva da Província.

 

Frei José Rolim nasceu em Atalaia de Baixo, Nossa Senhora da Anunciação da Lourinhã, a 4 de novembro de 1872, filho de Clemente José e de Mariana de Jesus, vestiu o hábito no convento de Varatojo a 06 de outubro de 1889 e professou na Ordem Franciscana a 13 de outubro de 1890; emitiu votos perpétuos a 06 de janeiro de 1894, e foi ordenado sacerdote a 30 de maio de 1896. Faleceu no Seminário da Imaculada Conceição (Luz – Lisboa) a 05 de maio de 1952. Pertenceu ao primeiro grupo missionário de Moçambique em 1898, onde permaneceu pouco tempo. Depois da revolução de 1910, construiu em São Paulo do Brasil a Igreja de Santo António de Pary e nos Estados Unidos abriu a paróquia de New Bradford. Notabilizou-se pela palavra falada e escrita, pois terá pregado mais de 10.000 sermões, incluindo incontável número de retiros ao clero e a comunidades religiosas. Editou mais de 30 títulos entre os quais dois sermonários. A Província Portuguesa da Ordem Franciscana conserva, ainda, no seu arquivo, numeroso espólio inédito.

A cerimónia, sob a presidência do Ministro Provincial, Frei Vítor Melícias, contou com a presença do Patriarca de Lisboa, Dom Manuel José Clemente, sobrinho-neto de Frei José Rolim, de Dom Frei António Montes Moreira, e do historiador Frei Henrique Pinto Rema, além da comparência de um grande número de Frades da Província. Foram oradores Frei Henrique Pinto Rema, Dom Frei António Montes Moreira e Dom Manuel José Clemente.

 

Durante este “Capítulo”, o Patriarca de Lisboa e o Guardião do Convento de Varatojo descerraram um quadro a óleo com a efígie de Frei José Rolim, ficando a integrar a galeria já longa dos mais célebres confrades de ontem. O ato terminou com uma procissão no claustro do Convento e oração pelos benfeitores e frades falecidos, na sala «de profundis».

 

CERIMÓNIA DA VESTIÇÃO

Decorreu, logo de seguida, no Coro do Convento, integrada, como sempre, na Oração de Vésperas. Presidiu a esta liturgia o Ministro Provincial, estando presentes, para além de toda a comunidade conventual, o Bispo Emérito de Bragança-Miranda, Dom Frei António Montes e o Frei Evódio João, Custódio da Custódia Franciscana de Santa Clara de Assis de Moçambique.

 

Das mãos do Ministro Provincial receberam o hábito franciscano os jovens portugueses e timorenses, e os jovens moçambicanos o receberam das mãos de seu Superior, Frei Evódio João.

 

PRIMEIRAS PROFISSÕES E RENOVAÇÕES

Aconteceram no dia seguinte, 07 de setembro, em Solene Eucaristia celebrada às 11H00 na igreja do Convento, presidida pelos Superiores religiosos dos professandos, Frei Vítor Melícias e Frei Evódio João. Cada um recebeu os votos dos seus respetivos noviços.

 

Após a Profissão Religiosa destes jovens que terminaram o ano canónico do Noviciado, renovaram a sua Profissão os que, como professos de votos temporários, seguem agora a sua caminhada de formação universitária, humana e franciscana.

 

Da igreja passou-se à partilha do almoço, servido em ambiente muito fraterno e alegre, no claustro do Convento.

 

 

http://www.ofm.org.pt

Santo António de Lisboa