Grandes Pegas nas Caldas

1 de agosto de 2012

Melhor pega dos Forcados das Caldas na noite de homenagem a D. Francisco de Mascarenhas (Fotos João Polónia)
Melhor pega dos Forcados das Caldas na noite de homenagem a D. Francisco de Mascarenhas (Fotos João Polónia)

Realizou-se no passado domingo dia 29 uma corrida nocturna nas Caldas da Rainha em que a juventude dos toureiros condizia bem com as bancadas cheias de uma assistência maioritariamente jovem. É um sinal inequívoco de que a festa brava na sua tradição não só se mantém como se renova. Isto numa noite em que os amigos dos animais ou melhor os anti-touradas tiveram uma vez mais a amabilidade de estarem presentes e de se manifestarem ordeiramente frente à praça.

 

Se eles não chegavam a 40, lá dentro de bancadas repletas eram mais de quatro mil sendo certo que há sempre quem procure protagonísmo com a presença da televisão já que a corrida tinha transmissão direta. Eles que não se esqueçam de continuar a aparecer que até dão aos aficionados forças e sorte para casas cheias.

Mas vamos ao espectáculo e que espectáculo! A Ganadaria Vinhas enviou um curro de toiros com terapia, poderosos, raçúdos, com bravura mas ao mesmo tempo nobres de investida franca, a deixarem-se tourear dando aso às boas lides, a uma nota muito positiva naquela que foi uma boa corrida de toiros.

Os toureiros não se fizeram rogados, só tinham que seguir o mote e aproveitar para boas atuações sendo que foi duma forma geral o que fizeram.
O cavaleiro Marco José, toureiro da terra nascido nas Caldas, foi o 1º a apresentar-se em praça, sendo visível as ganas com que vinha perante o seu público e as câmaras de reafirmar o seu incontestado valor.

Irrepreensível nas bregas e preparação das sortes, cravou três ferros compridos de ótima colocação bem juninos lá no alto do morrílho, para depois deixar 5 curtos de grande nota e mais de um palmo com que rematou a sua grande actuação. Bem montado (bons cavalos) confiante, alegre e comunicativo com o público certamente com saudades desta praça veio para triunfar e triunfou mesmo.

Seguiu-se Ant. Brito Paes, que não estaria tão feliz pairando até no ar por momentos a tragédia, pois numa colhida espetacular cavalo e cavaleiro foram derrubados ao chão.

Passada a aflição geral na praça o cavaleiro recompôs-se terminando num plano muito aceitável.

Seguiu-se Manuel Telles Bastos, fiel ao seu estilo clássico, muito correto a tourear e no privilégio que dá nas sortes a ir de frente.

No intervalo numa cerimónia nos corredores da praça e que passou despercebido do público, prestou-se homenagem a uma grande figura do passado o cavaleiro D. Francisco Mascarenhas, sendo ali descerrada pelo próprio uma lápide comemorativa do acontecimento. Também no intervalo e no palanque por cima dos curros, a Câmara Municipal na pessoa do seu presidente, homenageou D. Vicente da Câmara, por tanto invocar o nome da cidade no Fado das Caldas.

Tal como na primeira, a 2ª parte começou da melhor maneira, pois Marco Bastinhas armou o taco com uma lide de grande emoção com bregas ladeadas, sortes muito bem trabalhadas e desenhadas, que culminavam em ferros de muita classe. Rematou a sua excelente atuação com um ferro em sorte de violino e (tal como seu pai) um par de banderilhas. No 5º da ordem Tomás Pinto não destuou do tom da corrida, sendo visto e aclamado com agrado, fechando a corrida o praticante Mateus Prieto confirmando plenamente aquilo que dele já escrevi noutras atuações. Continua com maneiras, com muita toureria e há que porfear para romper. Nas Caldas esteve em bom plano e tal como os restantes foi aclamado, e deu volta à arena. Aclamados… aclamados e de pé foram os forcados das Caldas da Rainha. Bravos rapazes, grande noite, grande atuação com 6 espectaculares e rigissíssimas pegas, são os grandes triunfadores da corrida com Marcos Bastinhas na qual por mérito Marco José também tem lugar no Pódium.

Os aficionados que se preparem pois o 15 de Agosto está à porta com uma novilhada de manhã e imagine-se uma corrida mista à tarde com os cavaleiros António Telles e Rui Fernandes e a pé o matador Luis Procuna - forcados das Caldas e Santarém.

 

 

Luciano Silva (texto)

 

João Polónia (fotos)

 

(Jornal das Caldas nº 1057 de 1 de agosto de 2012)

 

http://www.jornaldascaldas.com/Grandes_Pegas_nas_Caldas_

 

Comente esta notícia:

Comments: 0