Centenas de pessoas no último adeus a Sandrina Inácio

“Estamos todos envolvidos no luto de uma experiência trágica, numa escuridão de tristeza que nos esmaga, faz-nos sofrer e não encontramos palavras para tal violência. O homem é criado para amar e para ser amado, porquê é que há ódio no coração humano?”. Foi com estas palavras que o pároco Samuel iniciou ontem, 22 de novembro, a missa exequial de Sandrina Inácio, em Tornada, Caldas da Rainha, diante centenas de pessoas que lhe quiseram prestar a sua última homenagem.

 

Num ambiente consternador, o sacerdote afirmou que parecia que estava tudo bem e que havia paz conjugal. “Foi há pouco tempo que fiz o Batismo do filho mais novo, fui participar num almoço e não sentia nada anormal; como é que isto sucedeu?”, revelou visivelmente emocionado, exprimindo sentimentos de “revolta, frustração e desamparo” com o pensamento nos familiares e filhos menores.

 

“Somos todos máquinas frágeis. Tal como somos capazes de amar, somos todos capazes de fazer a violência mais cruel do mundo, todos nós. Neste momento de tribulação, em que todos partilhamos este sofrimento, o momento da maior cruz, voltemo-nos para Deus, porque Ele é aquele que venceu a violência, o pecado e a morte, com amor; e esta cruz é a nossa resposta, o amor que vence”, sustentou.

 

Segundo o padre Samuel os fiéis devem constantemente voltar para o coração de Deus, ir à Igreja para ouvir a sua palavra e santificar incessantemente as suas vidas; porque “a caridade vence e o amor de Deus purifica o frágil amor do ser humano”.

 

“Como maior sinal do nosso amor e amizade, rezamos pela Sandrina, para que o amor, a paz e a alegria que lhe foi negado neste mundo, ela receba cem vezes mais nos céus junto de Deus, que a acolha de braços abertos no seu seio”, concluiu o responsável com o repto aos presentes, para que as lágrimas derramadas que mostram sinais de amizade, transformem de coração sincero em ato de oração, alcançando a paz eterna.

 

Recorda-se que Sandrina Inácio de 37 anos foi na madrugada da última segunda-feira, 20 de novembro, barbaramente assassinada pelo marido em sua casa, onde se encontravam os três filhos menores do casal, de 2, 9 e 13 anos.

 

 

João Polónia/Comércio & Notícias (texto e fotos)

 

(notícia publicada no Comércio & Notícias a 25 de novembro de 2017)

 

http://comercioenoticias.pt/2017/11/23/centenas-de-pessoas-no-ultimo-adeus-a-sandrina-inacio/