Alvorninha recebe Visita Pastoral

Cardeal-Patriarca regressa às origens e desafia à escuta da Palavra

(foto Diogo Paiva Brandão/Voz da Verdade)
(foto Diogo Paiva Brandão/Voz da Verdade)

Patriarca de Lisboa desde 24 de março de 1998, D. José Policarpo realizou, no passado Domingo, 17 de fevereiro, a primeira Visita Pastoral à sua paróquia de origem, Alvorninha, desafiando os seus conterrâneos a escutarem Cristo através da Palavra. Ao longo de quase 15 anos, o Cardeal-Patriarca de Lisboa, por diversas vezes, presidiu a celebrações em Alvorninha, junto dos seus conterrâneos. Mas no I Domingo da Quaresma, no âmbito da Visita Pastoral à Vigararia de Caldas da Rainha - Peniche, D. José Policarpo realizou a primeira Visita Pastoral à sua terra de origem, desafiando, na Eucaristia a que presidiu, à escuta da Palavra de Deus. “O Ano da Fé é o ano da Palavra! É um grande convite a que cada um de nós escute a Palavra do Senhor, em silêncio, na oração!”, frisou D. José Policarpo, durante a celebração que decorreu no pavilhão que tem o seu nome. Na sua homilia, o Cardeal-Patriarca sublinhou a importância da Palavra de Deus na vida da Igreja. “A Palavra de Deus é uma Palavra que Ele quer que seja escutada e respondida. Isso é a fé! São Paulo usou uma expressão muito bela: ‘A Palavra está em ti, está junto de ti, na tua boca e no teu coração’. Mas o principal é no coração, um coração que se abre à mensagem, ao encanto de um Deus que nos fala, de um Deus que nos ama, de um Deus que pensa em nós, um Deus que quer caminhar connosco, que é nosso Pai, é nosso amigo”.Nesta Visita Pastoral à terra que o viu crescer, D. José Policarpo terminou a Eucaristia com um pedido: “Guardai no vosso coração, hoje, esta Palavra de Jesus ao demónio: ‘nem só de pão vive o homem, mas de toda a Palavra que sai da boca de Deus!’. Não tenhamos ilusões: se estivermos só ligados às coisas deste mundo, não percebemos absolutamente nada do que é o caminho para o qual o Senhor nos convida”. Fazer caminho em Alvorninha“As pessoas da terra, mesmo as mais antigas, já não se recordam da última vez que Alvorninha recebeu a Visita Pastoral”, relata ao Jornal VOZ DA VERDADE o pároco, padre Rui Gomes, de 34 anos, que está presente nesta freguesia de Caldas da Rainha há quase seis anos. “Quando fui nomeado para Alvorninha, senti um pouco o peso de estar a ser escolhido para a terra do nosso Patriarca. No entanto, não foi algo que aumentasse a responsabilidade e a missão que me era dada! Porque a missão nesta paróquia ou noutra é a mesma!”.Alvorninha é uma freguesia do concelho de Caldas da Rainha, com 2987 habitantes, segundo os Censos de 2011. “A nível geográfico, é a maior paróquia do concelho de Caldas. Tem uma realidade rural, com algumas pessoas a trabalhar na área da indústria e que tinham estado ligadas à cerâmica. É gente que foi afetada pelo desemprego, porque fecharam as grandes fábricas de cerâmica nas Caldas. O resto da população é da área da agricultura, na produção de maçã, pêra, alguma vinha e hortaliça”, explica o pároco.Sobre a realidade da presença de Cristo, o padre Rui salienta que é possível fazer caminho na paróquia de Nossa Senhora da Visitação de Alvorninha. “É possível fazer um caminho interessante em Alvorninha! De um modo geral, esta é uma gente generosa, que adere às propostas e que aceita desafios”, aponta o pároco. O Renovamento Carismático, que se reúne semanalmente à quinta-feira, a LIAM – Liga Intensificadora da Ação Missionária e, mais recentemente, o Movimento da Mensagem de Fátima são os três grandes movimentos presentes nesta paróquia.Alvorninha é uma paróquia com 14 lugares de culto! Filho da terra, D. José Policarpo foi batizado na igreja paroquial de Alvorninha. “A pia batismal onde o nosso Patriarca foi batizado ainda se encontra na igreja, mas desde a década de 80-90 deixou de ser utilizada, porque foram feitas obras, aumentando a capacidade do templo. Desde essa época, passou-se a utilizar um batistério junto ao altar, estando o batistério original junto à entrada, num local onde cabem muito poucas pessoas”, explica, salientando que “a paróquia tem uma média de 30 batismos por ano”.Numa freguesia com menos de três mil habitantes, o número de crianças na catequese é significativo. “Temos 200 crianças na catequese, distribuídas em dois centros: em Alvorninha e num dos lugares da paróquia, Ramalhosa. É um número interessante”, destaca o pároco. Crianças e idososA Visita Pastoral à paróquia de Alvorninha teve início no centro escolar, uma instituição de ensino inaugurada em 2010, com Pré-Primária e 1º Ciclo, e que reúne todas as crianças da freguesia. D. Nuno Brás, Bispo Auxiliar de Lisboa, visitou as diversas salas do Centro Escolar de Alvorninha, no passado dia 14 de fevereiro, acompanhado da diretora. “Para o ano teremos apenas 11 crianças no 1º Ano, mas no ano seguinte já teremos novamente mais de 20”, confidenciava a diretora da escola ao Bispo Auxiliar do Patriarcado, explicando ainda que “a baixa natalidade é um problema, tal como em muitas outras freguesias portuguesas”.Após o contato com os mais novos da freguesia, D. Nuno Brás visitou a ADSFA – Associação de Desenvolvimento Social da Freguesia de Alvorninha, uma IPSS vocacionada para os mais velhos. Na sede, esta associação recebe 24 idosos no centro de dia e presta ainda apoio domiciliário a outros 52. “Somos uma associação que além de prestar auxílio à população, dá também emprego às gentes da terra, uma vez que dos 26 funcionários da instituição, apenas um não é natural de Alvorninha”, contava um membro da direção ao Bispo Auxiliar de Lisboa. “Neste momento, a prioridade é a construção de um lar. Já temos um projeto, mas que terá de ser repensado devido aos custos”, acrescentava. D. Nuno Brás, nesta visita aos idosos de Alvorninha, cumprimentou cada um dos utentes, garantindo: “Deus conta com cada um de vocês! Nunca deixem de rezar”. Cultura, poder político e populaçãoA Sociedade Filarmónica de Alvorninha, fundada em 9 de abril de 1921 pelo padre Marques de Sousa, recebeu também a visita de D. Nuno Brás. O Bispo Auxiliar de Lisboa ficou a saber, por exemplo, que esta sociedade musical integra cerca de 30 elementos, entre os 15 e os 35 anos, e que tem ainda uma escola de música para 20 alunos.A Visita Pastoral de D. Nuno Brás a Alvorninha prosseguiu na sede da junta de freguesia, com o Bispo Auxiliar de Lisboa a sublinhar a importância de “manter boas relações entre o poder político local e a Igreja”.Num encontro com a população, que decorreu no salão paroquial, D. Nuno Brás reconheceu que “em Alvorninha praticamente toda a gente é batizada”, e explicou o sentido do Ano da Fé, convocado por Bento XVI. “Nós, cristãos, precisamos de ter maior consciência do que é ser cristão! No fundo, este Ano da Fé é um convite que o Papa faz aos cristãos, para aprofundarem a sua fé!”. A catequese e a escuta da PalavraAlvorninha pertence à Vigararia de Caldas da Rainha - Peniche e durante dois dias recebeu a Visita Pastoral. Primeiro de D. Nuno Brás, Bispo Auxiliar, e depois de D. José Policarpo, um filho da terra. “A escuta da Palavra de Deus! Este é o desafio que fica da visita do Senhor Patriarca a Alvorninha. Fazer, no Ano da Fé, a caminhada quaresmal através da escuta da Palavra!”, destaca o pároco, ao Jornal VOZ DA VERDADE. No final da Visita Pastoral, o padre Rui Gomes sublinha a importância para a comunidade da visita do Cardeal-Patriarca à sua terra Natal. “Além do gesto de acolhimento, de alegria e de envolvência, em que as pessoas participaram, sublinho de um modo especial a presença de muitas crianças da catequese, que começam agora a descobrir a Palavra de Deus”.

 

Vidais acolheu Bispos Auxiliares

 

Além de Alvorninha, o padre Rui Gomes é também pároco em Vidais há quase seis anos. “Alvorninha e Vidais são comunidades muito diferentes, muito distintas. Vidais tem talvez uma dispersão um pouco menor, mas tem uma população de pouco mais de mil habitantes muito envelhecida”, refere o pároco, ao Jornal VOZ DA VERDADE.No início do mês de fevereiro, a paróquia de Nossa Senhora da Piedade de Vidais recebeu a Visita Pastoral, que ficou marcada “por dois momentos de festa e alegria para a comunidade cristã”. No dia 1, D. Nuno Brás visitou o Centro Social Paroquial de Vidais, onde dirigiu aos utentes e funcionários do centro de dia uma palavra de esperança, pedindo-lhes para “ajudarem os mais novos a crescerem na fé”. No dia 2, D. Joaquim Mendes “foi acolhido pelas cerca de 30 crianças e adolescentes da catequese” e deixou um convite “a um vigor da vivência da fé, do testemunho da fé”.Neste ano 2013, mais concretamente no dia 11 de agosto, a paróquia de Vidais celebra os 50 anos da igreja paroquial.

 

 

Diogo Paiva Brandão/Voz da Verdade