Imagem Peregrina de Fátima regressa ao Bombarral

2 de janeiro de 2013

Numa noite fria repleta de fé e veneração, mais de mil fiéis foram convidados a viver um tempo orante diante da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima, que nos dias 30 de novembro e 1 de dezembro visitou a vila do Bombarral, por ocasião do 66º aniversário do milagre das pombas.

 

O regresso da Virgem Maria à vila bombarralense tornou-se na forma mais bela da Unidade Pastoral de Bombarral, Carvalhal, Roliça e Vale Covo dar início ao Ano da Fé, expressando o seu ‘sim’ num gesto marcado pela conversão e alegria, ensinando a viver o aprofundamento da fé cristã. 

 

A Praça do Município iluminada pelas velas dos peregrinos, muitos deles, crianças e jovens, tornou-se pequena para acolher a receção da Imagem peregrina transportada pelos Bombeiros Voluntários do Bombarral. Iniciada a celebração, o padre Sérgio Bruno, pároco do Bombarral convidou os presentes a deixarem-se atrair pela visita de Nossa Senhora, para que com Ela “possamos aprender a seguir os caminhos do seu filho Jesus”. “Aproximarmo-nos de Maria é sempre uma busca de consolo e proteção maternal, que hoje como sempre, nos convida a afirmar a nossa fé naquele que se entregou por nós”, manifestou o responsável da paróquia, afirmando que aquela que apareceu vestida de luz, é sinal de uma luz maior que permanece “naquele que ouve a Palavra de Deus e a põe em prática na sua vida”.   

 

Invocando a proteção de Maria, os cristãos iniciaram a contemplação do Rosário de Fátima, junto da imagem, com a leitura de meditação do primeiro mistério proclamada pelo Presidente da Câmara do Bombarral, José Manuel Vieira, intercedendo pelos governantes do mundo inteiro, em particular pelos autarcas do concelho. A procissão das velas percorreu as principais artérias da localidade, congregando a participação de diversas instituições locais, a banda do Circulo de Cultura Musical Bombarralense, contando com o apoio do Agrupamento de Escuteiros 516 do Bombarral, e culminou na Igreja paroquial do Santíssimo Salvador do Mundo para a Eucarística solene celebrada pelo coadjutor, padre José Luís Guerreiro.

 

Na homilia, o sacerdote garantiu que a passagem da Imagem de Nossa Senhora pela paróquia, pelo concelho, e pela vida de “cada um de nós”, terá necessariamente de deixar “uma marca, porque Ela já é sinal para nós”. “Ao olharmos para a Peregrina de Fátima, não podemos simplesmente ver uma imagem, mas o sentido e o sinal que ela traz consigo”, alertou o padre José Luís para a importância do acontecimento religioso. Apesar do ano letivo já ter começado, o prior do Carvalhal convidou todos os cristãos a matricularem-se na “escola da alegria de Maria”, a fim de “aprendermos a viver uma vida de grande disponibilidade e desprendimento para servir”, tal como Maria, eleita para ser mãe de Jesus porque "tinha um coração livre, um coração vazio e aberto” para receber a graça de Deus, e por isso se tornou na “Senhora da esperança e da alegria”.  

 

Após a cerimónia religiosa, a comunidade paroquial, na companhia da Peregrina de Fátima, permaneceu em vigília diante da Exposição do Santíssimo Sacramento. A peregrinação da Virgem Maria ao Bombarral terminou no dia seguinte com a atuação do Coro da Catedral de Lisboa, seguida de celebração eucarística presidida pelo Bispo Auxiliar de Lisboa, D. Nuno Brás. O adeus da Imagem peregrina foi presenciado em grande número pelos bombarralenses com grande emoção.

 

 

João Polónia/Jornal das Caldas

 

(Jornal das Caldas nº 1079 de 2 de janeiro de 2013)

 

 

(o Vídeo desta reportagem será publicado em breve) 

"Milagre das Pombas" por Cónego José Traquina

 

Decorria o ano de 1946, trezentos anos depois do rei D.João IV ter proclamado a Imaculada Conceição como Rainha e Padroeira de Portugal (1646), e surgiu a ideia de trazer a Lisboa a imagem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa (a Padroeira). Entretanto, em 1946 já a imagem de Nossa Senhora de Fátima se tornara num grande atracção para muitos peregrinos. Então, foi pedido que a imagem de Nª Sª Fátima fosse também a Lisboa para no dia 8 de Dezembro de 1946 se encontrar com a imagem da Imaculada Conceição de Vila Viçosa para uma grande Celebração festiva dos 300 anos da Padroeira de Portugal.

 

É neste contexto de deslocação da imagem de Nossa Senhora de Fátima a caminho de Lisboa que passando pelo Oeste passa pelo Bombarral a 1 de Dezembro de 1946 e eis que umas pombas brancas que a D. Maria Emília Coimbra e a sua filha Teresa lançaram ao ar, no momento da passagem, foram pousar e recolher-se aos pés da imagem.

 

O acontecimento ficou registado para a história da imagem porque foram aquelas pombas, as do Bombarral, as primeiras a manifestarem a sua presença ternurenta junto da imagem de Nossa Senhora de Fátima.

 

Passando por várias terras, a imagem demorou vários dias até chegar a Lisboa a 8 de Dezembro. No entanto, as pombas de noite e de dia, nas celebrações e vigílias, com os cânticos e aclamações, com chuva e foguetes durante o percurso, as pombas nunca deixaram a imagem até chegar a Lisboa onde outras se associaram. O fenómeno foi registado pela imprensa daqueles dias.

 

Não se trata de nenhum milagre, foi um pequeno mas significativo sinal que ainda hoje não podemos deixar de ter em conta. Com efeito, sendo uma terra que naquele tempo não tinha boa fama de cristandade, Bombarral recebeu muito bem a imagem de Nossa Senhora e a Mãe do Céu deixou aquele sinal das pombas como memória da sua passagem, certamente porque nos ama e não quer que nos esqueçamos dela e da sua mensagem.

 

Free counter and web stats

Comente esta notícia:

Comments: 0