Palestra sobre Jesus Cristo clarifica caldenses

3 de Maio de 2012

“Jesus Cristo: Mito, Realidade ou Utopia” foi o tema da palestra realizada pela Associação Cultural e Desportiva Sírius, no auditório da Câmara Municipal das Caldas da Rainha, no dia 20 de abril, que teve como orador o padre Gonçalo Portocarrero de Almada, presbítero da prelatura do Opus Dei.

 

A palestra foi moderada pelo padre Miguel Pereira, coadjutor da paróquia de Nossa Senhora do Pópulo, dando maior apoio à realização do evento.

 

O orador incorporou a sua capacidade oratória a uma dose de humor, conseguindo prender a atenção das mais de 200 pessoas, que preencheram o auditório municipal. O sacerdote referiu-se à situação atual do catolicismo na Europa e desmontou as tentativas que, por parte de alguns escritores contemporâneos, têm surgido com o objetivo de adulterar a verdadeira figura de Jesus Cristo, esvaziando a sua dimensão divina.

 

“A religião católica está em regressão no continente europeu, enquanto crescem outras confissões religiosas e também o número das pessoas que se afirmam ateias ou agnósticas”, revelou o sacerdote ao JORNAL das CALDAS, caracterizando o contexto sociocultural da Igreja Católica. O responsável eclesiástico questionou as razões deste aparente declínio da religião cristã na Europa, considerando que a explicação para este fenómeno prende-se com “a historicidade do Cristo da fé”. “A religião cristã tem a pretensão da veracidade da sua mensagem e do seu fundador, sem a qual cairia no descrédito das mitologias pagãs”, salientou.

 

Segundo o padre Gonçalo Portocarrero têm-se verificado diversas tentativas, ao nível da cultura geral, de uma efetiva desconstrução do Jesus da História. “Autores como Dan Brown, José Saramago e até José Rodrigues dos Santos apostaram numa literatura que se propõe negar a credibilidade histórica de Jesus Cristo”, afirmou o presbítero, referindo que a grande maioria das pessoas pensa hoje que não há dados históricos que permitam “corroborar o que a Igreja ensina sobre o seu divino fundador”.

 

Perante estes desafios, no seu entender, importa procurar, na palavra revelada, os sinais em que se apoia a teologia católica em relação a Jesus Cristo. O padre Gonçalo considera importante a “autoconsciência” que o Filho de Maria tem da sua singular identidade, bem como o modo como assume e manifesta a sua “especialíssima personalidade”. “A dualidade das duas naturezas, humana e divina, na única pessoa do Verbo, é também atestada por inumeráveis passos da Sagrada Escritura, que só podem ser lidos e entendidos na perspetiva da afirmação divina do Filho do carpinteiro”, sublinhou.

 

Para o presbítero da prelatura do Opus Dei, o Cristianismo para certas pessoas, numa outra interpretação contemporânea da doutrina cristã, seria uma utopia, “no modo como muitos encaram a ética sexual cristã, nomeadamente no que diz respeito à indissolubilidade matrimonial ou ao valor e sentido do celibato sacerdotal”.

 

O padre realçou a verdade da natureza humana de Cristo, “perfeito Deus e perfeito homem”. “Realizado n’Ele esse ideal de perfeição, não cabe afirmar a sua impossibilidade prática, até porque, para tal efeito, Ele quis ser igual a nós em tudo, exceto no pecado”, referiu o sacerdote, acrescentando que “a perfeição a que todos os homens são chamados n’Ele não é a excelência insuperável do ideal, mas a perfeição do amor, que é a caridade”.

 

No final da palestra, o orador esclareceu algumas dúvidas apresentadas pelos participantes.

 

 


João Polónia / Jornal das Caldas

 

(Jornal das Caldas de 3 de maio de 2012)

 

http://www.jornaldascaldas.com/index.php/2012/05/03/palestra-sobre-jesus-cristo-clarifica-caldenses/

 

notícia publicada em UCB Portugal
http://www.ucbportugal.pt/arquivo.php?p=4451 

 

Free counter and web stats

Comente esta notícia:

Comentários: 0

  • loading